26 de dezembro de 2015

Tu eras a primeira pessoa a abrir-me o caminho. Ou deverias ser...a primeira pessoa a fazer-me correr, a fazer-me saltar, a fazer-me escrever, a fazer-me sorrir. Tu deverias fazer. Mas depois sinto que sou ingrata por pedir que um Amor seja recíproco, quando devia ser só dar, sem esperar receber. Mas digo que devias e soa tanto a uma obrigação, igualzinha aquela preocupação que tu me demonstras. Tão forçada e tão vazia de Amor. Tão obrigação e nada só porque sim, porque Gostas de Mim. Tu não gostas e nunca gostaste. Gostar de Mim é muito difícil porque é preciso amar-me primeiro pelo que não sou e que poderia ser: feliz todos os dias, cheia de vida, cheia de tudo de bom no coração. E não podes amar-me. Não assim...sem eu ser aquilo que tu queres que eu seja. Sem eu ser, aquilo que tu esperas ter. Gostar de Mim não é descomplicado...é preciso gostar de mim, quando eu não gosto e abrir-me a janela quando eu insisto ficar debaixo do cobertores. É acreditar, mesmo sem eu acreditar, que amanhã o Sol me dará paz...e se ele não der, terás tu a força suficiente para me dar? Eu sei...Gostar de Mim, ninguém quer...porque eu vivi a gostar intensamente e tanto profundo que um Amor destes assusta as pessoas. Incondicional e constante. Amar-me não é fácil. Mas pode parecer. Tu tentaste, mesmo tendo feito tudo errado. Tentaste. Mas só me amavas, não me Amavas. Daí me teres perdido, com tudo de mim: o coração escuro que não vive em alguns dias e a fortaleza de alguém que continua a sobreviver, quando tudo dita que não deveria acontecer assim.

3 comentários:

  1. r: o meu acompanhante local de estágio é educador social e sei lá. vi nele no início o meu modelo! Continua a ser agora, mas modelo de uma educadora social que não quero ser no futuro....

    ResponderEliminar
  2. oh princesa, que bom saber! sempre bom voltar quando somos assim recebidos, e quando não se esquecem de nós..
    mil beijinhos <3

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.