23 de dezembro de 2015

Parem de achar que sou forte. Ou que sou especial. Ou que faço com que alguém, por aí, me admire. Pelo que sou e não deveria ser, depois de tudo. Parem de insistir sobre o que tenho de sentir, em relação a mim própria. Porque só eu sei o que sinto. Porque só eu sei o quanto me sinto perdida, todos os dias em que não acredito que sou capaz. Eu é que sei o que sou. Não são os outros que sabem aquilo que eu sou. Ou então, não deveria ser assim.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.