9 de março de 2015

 
 
Só estou a tentar respirar fundo e a não pensar em ti. E para tornar tudo mais fácil, vejo-te em todo o lado em que não estás e deverias. Deverias se o Amor fosse forte... e eu pensei tantas vezes que eramos inquebráveis e agora estou eu, a tentar decifrar o cubo mágico para encontrar a fórmula certa de te esquecer. E de tirar o vazio tão grande que criaste em mim... Sinto tanto a tua falta e por isso preciso de deixar isto gravado. Sinto mesmo. Para que um dia me possa lembrar do quanto custou e de como superei. Sinto mesmo muito a tua falta, principalmente quando não consigo dormir e te tento substituir. Está difícil... e não é por não ter ninguém do outro lado; é por não seres tu. Eu disse-te tantas vezes que só conseguia dormir bem se soubesse que estavas lá... E agora tu não estás e não queres estar. Tenho tantas saudades tuas quando o coração me atraiçoa, sai pela boca e esmaga a força. Tenho saudades até de quando me ligavas para dizer nada. E dizia eu que me irritavas... Agora eu sei a falta que me fazes. E agora eu sei a falta que não te faço.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.