3 de março de 2015

 



É impressionte. Tu és impressionante. Tão atento à vida, tão feliz. Tão cheio de coisas, tão sem tempo para mim. Não é para mim, é para além de mim. Sem tempo para me veres. Sem tempo para me ouvires. Sem tempo para me olhares. Com o tempo contado, sempre a correr. Sem tempo para me leres, as palavras, os olhos, as atitudes, as lágrimas. Não sabes ler. Não me sabes ler e não queres aprender, não tens tempo - eu compreendo. Tão empenhado na vida, tão sorridente e positivo. Eu queria que me ensinasses como encontrar positividade para mim...mas tu não tens tempo. Eu queria que me ensinasses como ver o mundo assim, leve...mas tu não sabes ensinar e, talvez não seja porque não queres, é porque não vives de outra forma...pesada, sem saber o que vai ser amanhã, inseguro e as pessoas não podem ensinar aquilo que não têm. Mas eu tentei.. que olhasses para mim, para além de mim. Eu tentei ensinar-te o que aprendi mas acho que nunca quiseste saber por serem coisas tristes e profundas. Eu só queria que olhasses para mim... para mim, para dentro dos olhos, a alma, o passado, o que me fez assim, o que eu tive de crescer e mudar... o que eu tive de aprender sem querer, o que eu tive de lutar, o que eu sou... E nem o que eu sou tu aceitas. Eu sou invisível porque tu escolheste. Tu podias ter escolhido olhar para mim.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.