15 de fevereiro de 2015


Tão deserto que nada se vê... e o que se vê é triste. Tantos apertos no peito sem saber o que se pode fazer; tantas lágrimas presas porque ninguém as pode ouvir; tantas palavras agarradas à garganta porque não saem... Não sei como em algum momento posso pensar que sou Forte.

1 comentário:

Fica em segredo, entre nós.