6 de outubro de 2014



Tu és zero tantas vezes e outras vezes sabes ser cem. É por isso que não sei em que patamar te colocar ou colocar-me a mim. És instável. Não sei se posso contar contigo: vais ouvir-me um minuto..e os outros cinquenta e nove? Tu desiludes-me como pessoa de cada vez que te ouço ou vejo defenderes os teus valores: és tão frio e eu não gosto nada de água gelada. És tão objetivo, tão cabeça dura, tão dono da razão que engoles os bons sentimentos com todo o orgulho que tens. E logo eu, que estou do teu lado, uma pessoa tão quente de coração e tão magoada com a vida. Finjo sempre que te entendo e prefiro não opinar porque as chatices nada iriam resolver..eu procuro o bem nas pessoas e fecho os olhos quando o mal aparece. Não quero aceitar que existem pessoas más, tão maldosas que desejam o mal nos outros. E por serem esses os valores que guardo em mim, procuro-os nas outras pessoas. Sempre. Inconscientemente. E tu, que és tão 8 e 80 na minha vida.. O que procuro em ti é que sejas o meu 44. O meu meio.  O meu equilíbrio. A minha vontade de viver, todos os dias. A minha força. Os meus melhores abraços. As minhas melhores palavras. Os meus melhores ouvidos. E por isso não é justo que, em alguns dia, sejas todo o contrário do que desejo para mim. Sei que o problema não é teu. É nosso. Talvez meu. Secalhar estás na minha vida por estar, uma pessoa passageira. Talvez.. Não sei. Também não sei o que pensas de mim exatamente. Achas que sou bipolar? Ou isso é apenas uma desculpa de não tentares ou não quereres entender-me? Estás cansado de alguém difícil como eu. Difícil de estar, falar e conviver. Queres ir embora mas não sabes como fazer? E por isso dizes, em algum momento, que estás cansado? Eu sei que as pessoas inventam desculpas para tentar não magoar. Mas o que as pessoas não sabem é que as desculpas magoam mais que a verdade. E a verdade que tenho para te dar é que nunca te escondi aquilo que sou: reservada. Uma montanha russa: lá em cima feliz e cá em baixo triste. Incompreendida. O vulcão que ninguém quer conhecer. É por isso que não é justo o que tu me mostraste e mostras. Tão preocupado e com tanto amor. Hoje o amor acabou e a preocupação tem de ser fingida para continuares aqui. Não sei o que esperas de mim, mas eu sei que esperava de ti muito mais. E esse foi sempre o meu grande e temível problema: eu procuro uma pessoa igual a mim para ficar comigo. E essa pessoa não existe: não existem histórias nem corações iguais. 

3 comentários:

  1. R: True Blood já terminou sim infelizmente :s

    ResponderEliminar
  2. r: Depende... comigo isso nunca aconteceu. Tenho sempre de usar todos os dados, nem que seja num detalhe insignificante. Quando há mais dados do que os que são necessários, já é maldade do próprio professor que fez o exercício.

    ResponderEliminar
  3. r: Não é linear, claro, mas a maioria dos casos é isso que acontece... pelo menos, devia. Quando isso acontece, é maldade dos professores! Até os meus professores, agora da universidade, nos dizem isso :b

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.