31 de outubro de 2014

Que nunca nos falte a coragem de terminar o que nos destrói dias sem fim. Que nunca possamos escolher entre o silêncio e o grito, porque enquanto formos fracos os gritos serão mudos. Que nunca deixemos palavras por dizer e que seja de coração todos os sentimentos que exteriorizamos. Que nunca nos falte a bondade e a humildade de saber que somos humanos e que, consciente ou inconscientemente vamos errar. A humanidade está nas pessoas que não se misturam ou se tornam máquinas verdadeiras de mentiras e egoísmo. Que nunca nos falte a vida, para que nunca desejemos a morte. A morte somos nós e o nosso olhar direcionado para o umbigo. Que a coragem nunca se esgote. A felicidade está na próxima esquina. Eu tive de escolher a minha. Desculpa, na verdade ela não passa por ti. 

2 comentários:

  1. Um texto soberbo, gostei imenso de o ler. Extraordinário!

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  2. Junta-te a nós no nosso pequeno grande projeto ;) http://lettercrossing.blogspot.pt/p/blog-page_23.html

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.