3 de outubro de 2014


Não quero que o nosso amor se repita, com mais ninguém. Não quero que o nosso amor pare ou nos abandone. Não quero ter a sensação de que tudo é igual, de que o nosso amor é um lago onde a água não corre. Eu quero que sejamos um taque, um mar agitado e que todos os dias o nosso amor acorde e se repita de mil formas diferentes. Não quero ansiar o teu cansaço, mas sim o teu regresso. E que em todos os teus regressos e que em todos os fins do dia, possamos ter a certeza que este é o amor que queremos viver. Eu escolho o teu amor. Eu escolho o teu amor, todos os dias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.