5 de setembro de 2014



Tu vais sempre ficar recordado como o cabrão do sapo mascarado de príncipe que fingiu dar-me o mundo em torno de uma mentira. Ah! E que solta de mim a maior agressividade possível porque eu continuei a dar-te até o que não podia enquanto me embalavas, e tão bem, em mentiras absurdas que mostravam um amor falso. Um sorriso tão bonito numa pessoa que tão mal sabe gostar, fica mal. Porque quando a máscara te caiu e o meu sexto sentido funcionou sem falhar lá se foi a bondade que compraste na feira e o amor que tinhas para dar a este mundo.. e a outro. O cabrão do sapo que me fez acreditar, durante tanto tempo perdido, que valia alguma coisa. Tantas mentiras juntas.. Vales nada. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.