11 de agosto de 2014

O teu silêncio magoa-me. Porque ele é a verdade nua e crua de que não me queres. O teu silêncio destrói qualquer palavra que pense em dizer-te. Porque quando digo, a única coisa que recebo de ti é silêncio. A segunda são desculpas.. Sempre as mesmas. Não sei como mandar embora o nó que me criaste no estômago. Nem sei como não sentir saudades de ti, todas as noites. Não sei qual a solução para deixar de pensar em ti, em todos os momentos e ainda não encontrei a maneira mais fácil de prenunciar "o ex". E no meio de tudo, o que menos entendo é a tua postura. Distante. Calada. Desinteressada. Sem luta. Sem tentativas. Sem amor. Sem nada. E eu fico a pensar onde enterraste os mais de 730 dias que passamos juntos. E no meio das lágrimas que me caiem que pertencem ao amor que mataste eu não quero pensar em como foste apenas capaz de construír uma montanha entre nós. Porque o rapaz que existe hoje, não é o rapaz que me encantava quando o mundo me tirava o fôlego. Porque o rapaz que eu pensava existir jamais me daria tanto silêncio.. Ele soube dar-me tantas palavras e tanta presença. Ele morreu junto do amor que matou. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.