16 de agosto de 2014

Eu não sei o que posso dar-te mais de mim, mais do que aquilo que te dou ou tento dar, todos os dias. Todos os dias em que estás perto ou longe. Bem ou mal-disposto. Confiante ou aborrecido. Tudo o que tento, todos os dias, é compreender-te e estar suficientemente à altura para me quereres contigo, até no teu pior dia. Eu não sei o que posso dar-te mais ou o que queres que te dê mais: espaço, calma, silêncio, barulho. Eu não sei porque me mostras sempre que está bem e é dessa forma que eu quero que tudo esteja, de verdade. Eu não sei o que esperas de mim. Se mais do que aquilo que te dou, ou menos. É que eu só espero ter de ti o que tenho todos os dias: a tua presença.. Mesmo que pouca.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.