6 de agosto de 2014

E se tu fores feito de pedra, eu só peço que não aparecas nos momentos em que deixo de ansear a tua chegada. Se os teus passos forem pesados,  prefiro que vás a correr e sem despedidas. É que da tua boca nunca sai a verdade mas nunca páras de insistir, até que eu te diga tudo o que queres ouvir. Se for para trancares o teu coração, que assim seja. Só vou tentar deixar de ver, tudo o que fazes que me magoa. 
Não tentes dar - me meias palavras porque nunca soube gerir muito bem isso. Não venhas até mim apenas quando te lembras, porque o que eu preciso é que não te esqueças que eu existo sempre. Se o passado nada foi, apaga-me do teu presente. Acho que vivi um amor sozinha enquanto adormeceste nos meus braços. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.