14 de agosto de 2014

À pessoa que me deu o mundo cortado aos pedaços e que, em todos os pedaços me enchia de amor. À pessoa que me deu o mundo nas mãos, o sorriso todos os dias e a vontade de correr, de ser eu onde o eu era ele também. À pessoa que matou as nuvens, me deu o sol e que acreditou em mim quando eu achava que valia...nada. Pequena. Absorvida pelo tempo que me deu as voltas e a vida que não me trouxe nada. 
Vou-te levar sempre porque na verdade nunca irás embora. Vou-te levar sempre na pessoa que escolheste para dar sem esperar nada em troca. Vou-te levar sempre, até quando o meu mundo cair e o teu estiver a brilhar, ou vice versa. Na minha casa ou no meu coração, da forma como escolheres, terás sempre o refúgio e o lugar que é teu. Tão teu, tão certo como existe a noite, todos os dias. Vou-te levar sempre na mala que guardo para todas as viagens. Estarás sempre tão entranhado como a vontade de te esquecer será sempre nula. Vou-te levar sempre porque me fizeste viver. Viver durante o tempo em que quiseste estar aqui. 

1 comentário:

Fica em segredo, entre nós.