7 de janeiro de 2014


É verdade. Ele perdeu-se mesmo e eu nunca o conheci assim. Logo eu, que pensei conhecê-lo tão bem naquele tempo. Ele cresceu. Cresceu ou mudou? Mudou ou revelou-se? Ele perdeu-se no meio de tanta liberdade. No meio de tanto desejo da aventura, paixão, delírio e emoção. Ele quis coisas grandes mas tornou-se pequeno, aos meus olhos. Mas isso não importa, porque ele tornou-se grande, aos olhos das outras pessoas. Acho que ele foi passar férias ao Polo Norte, já que o coração dele congelou tão rápido. Ele tinha bom coração, é verdade. Boas atitudes. E, embora eu tenha falhado tanto, eu sempre quis que ele estivesse bem. E pergunto-me: drogas, tabaco, más notas, más companhias; é estar bem? Outro facto: continuo estúpida, é verdade. Ele já nem pensa em mim tantas vezes nas quais penso nele. Ele já não se preocupa como eu. Foi ele que me virou as costas quando mais precisei e, mesmo assim, quando ele precisou de mim eu estive lá. É verdade, estive lá, passado tanto tempo. Estive lá a ser usada, mais uma vez. Estive lá porque acreditei no rapaz que conheci, mais uma vez. Estive lá porque não sou como ele. E o rapaz que antes me esmagava os cigarros estava literalmente a fumar à minha frente. Irónico, não é? O rapaz que antes me deixou sem qualquer palavra, quando apenas eu pedia um simples "xau" estava a receber o meu apoio, paciência e tempo. Estava a receber as palavras certas para (re)conquistar a rapariga que gostava. Quando, noutros tempos, ele me fez sofrer mais que tudo. Irónico, não é? O rapaz que antes falava tão mal de drogas, estava à minha frente, calmamente a dizer-me que sim, fumava, mas não era viciado, era para relaxar. O rapaz que não merecia nada de mim voltou a procurar-me e recebeu, sem qualquer magoa, um lanche no Mac e uma boa conversa. Mas ele usou naquele momento e não precisou mais. Eu não posso estar perto, mesmo que quisesse. Porque eu sou o errado no meio da certeza dele. Mas ele não sabe que eu me lembro dele. E não sabe que eu não queria que ele estivesse neste caminho. Eu só acho que apanhou a boleia errada.


P.S. Deixei de fumar. Ficas feliz?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.