17 de fevereiro de 2013


Não me perguntem o porquê de fechar sempre a porta, sem olhar para trás. Por vezes tenho medo de ver, outras vezes sinto que devia ter visto. Não me perguntem onde deixei a chave-mestra do meu coração...o mestre era ele, mas parece que agora está trancada. A verdade, é que nenhuma certeza contém a fórmula correta e, com alguma sorte, nenhuma dúvida fica sem encontrar a solução. Acho que por enquanto, prefiro apenas amar-te de longe, sem tentar que isso me magoe ou me leva de volta ao Mundo do qual me fizeste sair. Tu erraste tanto... mas só agora é que eu quis ver.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.