31 de março de 2012

umdooutro


E quando decidires partir eu não quero que vejas o quanto sabes deixar-me no chão, os pedaços do meu coração que poderias encontrar atrás dos teus passos...já gastos, já cansados. E quando decidires partir, quero que leves a Lua que me prometeste e que leves as chaves do mundo em que só nós habitávamos. Quero que arranques as flores do nosso jardim e que encerres o para sempre como quem fecha um livro, com vontade, por o ter acabado de ler. Quando partires, vinca as marcas da tua ausência para que não me saiba à tua presença ilusória e descarrega o nosso amor, em qualquer água que no caminho encontres. Não esfregues as saudades para que elas não se possam agarrar a ti e larga, como quem larga uma alma pesada, as memórias que deixaram de nos pertencer. Se partires, tranca a porta, mas lembra-te de mim. Com um sorriso no rosto por te olhar nos olhos. Com um sorriso no rosto por te ter. Com um sorriso no rosto pela lembrança que não se apaga, nem hoje - e atrevo-me a dizer -, nem nunca, de um dia teres sido meu...um do outro.

9 comentários:

  1. Obrigada meu bem, desejo o mesmo para ti. Dorme bem, beijinho <3

    ResponderEliminar
  2. sim, acabei de criar blog, acho que me vou divertir.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada querida! Mas que se passa?

    ResponderEliminar
  4. adorei, está completo .. está lindo e mágico minha marta! és especial, e tudo o que tu fazes é especial, acredita! :)

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.