21 de dezembro de 2011


Não me troques as voltas, nem venhas em busca do teu lugar firme no meu coração. Não agora, não mais, não nunca! Não me troques as voltas, nem transformes lágrimas em sorrisos, nem dias em saudades de ti. Não faças o contrário daquilo que desejo que faças - que fiques longe, como ficaste até hoje, até depois de noites gastas e dias cinzentos. Até depois de palavras esgotadas e de gritos que sempre nunca entoavam o teu coração. Sabes... já me apeteceu mais fechar o livro e começar outro, de novo. Já me apeteceu mais ficar sentada, em qualquer sítio e esperar o teu regresso. Já me apeteceu mais, é verdade... amar-te e ter-te, guardar-te e proteger-te. Já me apeteceu mais ouvir-te, apetecia-me mais até quando nem os gritos chegavam a ti. Olha... agora não me apetece, agora eu cansei-me de todos os apetites que no início, no meio ou no fim, tinham o teu nome. Acho que vou acabar por fechar o livro, mesmo antes de o acabar, mesmo sem saber se o fim me levaria ao começo sem fim, mesmo sem saber se será o teu nome a minha última palavra. Acho que vou fechar o livro. Acho que nunca deveria tê-lo aberto.

14 comentários:

  1. Gostei! Uma coisa que reparo é que quando nós deixamos de querer, é quando eles voltam.. sabias? Têm o dom de nos fazer desesperar.

    ResponderEliminar
  2. WoooW
    Amei este texto! *.*
    Em tempo também já me senti assim, o único conselho que te posso dar é fechares mesmo o livro...
    Acertam sempre quando desistimos e parece que fazem de propósito para nos mandar para baixo...
    Beijo *.*

    ResponderEliminar
  3. disse-me que a minha presença o curava logo :$

    ResponderEliminar
  4. Sim princesa, com o tempo vamos ter que começar a aprender isso <3

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.