11 de agosto de 2011

o que foste e o que és


Estou cansada e realmente segui outros passos que não os passos do caminho certo. Estou baralhada. Tanto tanto. A tua presença tão mínima abala-me o coração. Não sei se realmente te quero pelo que és, mas sim pelo que foste. Não sei se tenhos saudades tuas, ou do que foste comigo. Não sei se tenho vontade de me perder no teu abraço de hoje, ou do passado de tão perfeito ter sido. Estou cansada deste amor e desta esperança que me alimentas. Apagas-me a alma e fazê-la viver. Eu não preciso de dias constantes de falta de ti, eu não queria precisar de te procurar para que te lembrasses de mim. Eu não preciso que me lançes palavras tão frias como se eu fosse uma desconhecida. Não entendo o sentido de te amar, de esperar o teu regresso. Estou cansada, mas vivo por isto. Não por ti, mas pelo que fomos. Tu podes até ser o motivo de eu desistir deste amor, mas não vais ser o motivo de eu desistir de mim. Eu desisto... acabei por desistir... de ti.

Mas como hei-de eu pôr um ponto final em tudo, 
se na verdade, não sinto que o 
queiras pôr comigo?

10 comentários:

  1. Ainda bem que gostaste (:
    Por vezes, as pessoas deixam de ser as mesmas connosco ..

    ResponderEliminar
  2. agora somos crescidos e a felecidade parece cada vez mais dificil de encontrar .

    ResponderEliminar
  3. É claro que compreendo, querida :)
    Este texto está lindo *-*
    Muita força, eu sei que vais ser muito feliz, princesa!

    ResponderEliminar
  4. força marta**

    /wordsonthewind-ana.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Irei fazer os possíveis para não perder (:

    ResponderEliminar
  6. É que é mesmo, felizmente ainda há alguns que não têm problemas em demonstrar os seus sentimentos.

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.