12 de agosto de 2011

coisas estranhas que foram tuas


Acho que me fizeste perder as palavras. Acho que acabaste mais comigo, do que eu própria o faço. Hoje lembrei-me da minha mania de assoar o nariz. Lembrei-me porque estou doente e no meio de tudo isto, qualquer coisa que também não seja isto... eu penso em ti. Lembrei-me do quão te rias da minha anormalidade numa necessidade tão normal. Tu tapavas-me e começavas a sorrir. No fundo, sabes que aquilo era uma coisa só minha, nossa, porque te dei a conhecer. Hoje lembrei-me da minha mania em que tu participavas e sorri comigo e lembrei-me de ti, sem saberes. Tu nunca sabes quando me lembro de ti. E eu nunca sei quando devo esperar que me procures. A verdade é essa: eu não devo esperar palavras tuas, eu não devo esperar conforto algum teu. Hoje lembrei-me de ti por algo estranho, mas lembrei-me da forma como rias por eu ser assim. É estranho... porque no fundo, prometi a mim mesma que vou mudar de direção. E por mim, vou cumprir.

15 comentários:

  1. Obrigadaa (:
    É bom saber saber.

    E acerca do teu post: tens de ter força, vais ver que consegues (:

    ResponderEliminar
  2. mas enquanto não encontrar essa felicidade vou andar a sofrer. cada dia é pior. eu não quero nem consigo desistir, mas se calhar é o melhor a fazer para não sofrer mais. muito obrigada pela força querida!

    ResponderEliminar
  3. obrigada princesa, também gostei do teu :)

    ResponderEliminar
  4. muito obrigado mais uma vez fofinha. juro-te que até a mim o texto me entristece .

    ResponderEliminar
  5. mudar de direcção nunca é mau, é simplesmente seguir em frente e ser feliz! :)
    e sim, a saudade quando é bem verdadeira mata mais que tudo.

    ResponderEliminar
  6. tão verdade aquilo que escreveste que até dói. mas essa espera vai desvanecendo de dia para dia e ficando cada vez menos angustiante, até ao dia em que é apenas uma lembrança.

    ResponderEliminar
  7. sim, há esses casos. há quem mereça todo o nosso carinho, por outro lado é esse tipo de excepções; que não merecem uma ponta daquilo que lhes damos, e fartamos-nos de dar e não recebemos nem um obrigado em troca, e quando chega a esse ponto de saturação, acabamos por esquecer, e metermos -nos sempre há frente dessa pessoa, porque ela não merece.

    ResponderEliminar
  8. Ainda bem e muito obrigada!
    Love, Bruna

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.