26 de julho de 2011

bff



Como me pedes para não te esquecer? Esquecer-te, seria esquecer-me do que sou. Do que és, do que fomos e somos. Esquecer-te seria não sentir em mim um pedaço teu que me pertence. Esquecer-te seria largar a mão de quem sempre me levantou. Sinto a tua falta! Recorres ao meu abraço quando o mundo te absorve, porque sabes que eu fiz, faço e farei tudo para te ver a sorrir. Agarras firme a minha mão para que te segure antes de caires e sabes que eu não te falho. Sabes que eu olho para ti e vejo-te em mim. Sabes que as minhas palavras têm uma magia diferente no teu coração e quando digo que te amo, estou a dizer-te que amo as tuas gargalhadas de felicidade. Como me pedes que não te esqueça? Sabes que o teu caminho, é o meu caminho. Que na tua queda, ver-me-ás sempre, lá no fundo, a dar-te a mão por mais que me custe. Sabes que o teu sorriso é o melhor e o mais puro alívio para a minha alma e sentir o teu coração no auge do bem-estar, faz-me sentir realizada. O tempo para permaneceres na minha vida é ilimitado. Sabes que sempre foi e sabes que sempre será assim. Não importa o que serás amanhã para o mundo, porque amanhã decerto serás para mim o que foste hoje, o que sempre foste. Não importa se amanhã o meu mundo escurece, se já nada me aquece, pois sei que no teu mundo, a chave será sempre esta amizade que guardo dentro de mim. O relógio pode até não indicar as horas que desejas, os caminhos podem até nem ser os que estavas à espera, mas podemos tentar correr contra o tempo, posso tentar deixar-te feliz mesmo em horas erradas, posso percorrer contigo os caminhos que anseias e posso dar-te a minha mais verdadeira certeza: não te esqueço.
Não penses que não tenho saudades tuas. Não penses que deixei de estar presente, com esta ausência de momentos ou palavras. Não penses que preciso menos de ti, porque a verdade é que preciso de ti, todos os dias, cada vez mais. Não penses que adormeço sem me lembrar de ti. Não penses mentiras, quando és a minha verdade. Quanto pensares em pensar que me estás a deixar de ser, olha para o quadro que está no teu quarto e lê o texto que já faz tempo que te escrevi, mas que ainda faz parte deste presente. Deita-te na tua cama e lembra-te de quando lá estava, ao pé de ti, a pintar as unhas com o teu verniz e tu a pedires-me para ter cuidado, para não pintar a tua caixinha. Vai até à sala, deita-te no sofá como naquela tarde em que eu estava a comer pão com maionesse o ketchup e lembra-te do que me dizias "que nojo, não sei como consegues comer isso!" e eu ria-me e abria-te a boca para veres como era bom! Recorda a maneira como te acordo, bem cedo para aproveitarmos o dia. Tiro-te os cobertores e tu reclamas, pedes-me para dormir mais e eu não deixo. Não quero que te esqueças das lágrimas que já dividimos, nem da dor que já partilhamos, mas quero que guardes esses segredos tão tristes no teu coração, para que tenhas a certeza de que não estás, nem estarás sozinha. Vai até à cozinha, faz um café para ti e ouve-me a pedir-te que me faças também e numa chávena grande. Estes momentos, nem o tempo os apaga. Estes momentos e outros infinitos que ambas sabemos. Não preciso de gritar que te amo, até no meu silêncio tu o percebes. Não preciso de prometer-te que não te deixo, passaram três anos e contínuo contigo, sempre contigo, sempre para ti.
Onde estás, eu estou. Onde vais, eu vou. Começas a falar e eu acabo o que começas. Fazes asneiras, eu alinho. Se somos felizes por momentos, porque não sermos felizes toda a vida? És o ar que não me canso de respirar. Esquecer-te a ti, seria esquecer-me de mim. Amo-te Daniela, amo-te melhor amiga.

23 comentários:

  1. esta mesmo fixe :)
    es uma boa escritora:)
    ass erica

    ResponderEliminar
  2. Antes dela morrer ela prometeu-me que ia cuidar de mim em qualquer lugar que ela tivesse e eu sei que ela vai cumprir essa promessa. E nós somos mesmo fortes, princesa!

    Este texto está lindo *-*
    Nota-se que a vossa amizade é linda :)

    ResponderEliminar
  3. está lindo.
    aquele texto em inglês é um enxerto de uma música. a marta sofia mendes? nem te passa.

    ResponderEliminar
  4. essa amizade, céus, que relação linda, maravilhosa. gostei mesmo do sentimento verdadeiro e intenso que transmites :)

    obrigada pelo doce comentário, mesmo. gostei tanto!

    ResponderEliminar
  5. gostava, mas não arranjo maneira de seguir o teu blog :l

    ResponderEliminar
  6. Já podes ler a continuação da história, fofinha :))

    ResponderEliminar
  7. tens razão, pena não podermos escolher, muita pena.
    isso so nos faz sofrer

    ResponderEliminar
  8. meu deus, não é exagero dizer que o meu coração ficou suspenso enquanto lia o teu comentário. foi do melhor que já me disseram e saber que apreciam tanto assim a minha escrita.. eu não sei, é simplesmente uma honra. muito obrigada pelas palavras, mesmo.
    (pode parecer ridiculo, mas nao encontro a teclazinha para te seguir :$)

    ResponderEliminar
  9. é que é mesmo.
    oh o texto está lindo *-*

    ResponderEliminar
  10. oh, nunca tinha feito assim, bem visto. vou já seguir-te então :)
    sou sim.

    ResponderEliminar
  11. já percebi que o nosso caso é semelhante :o

    ResponderEliminar
  12. oh, não. :) mas ir viver para o japão/coreia era um sonho para mim.

    ResponderEliminar
  13. o meu nome mesmo não é esse, mas é assim que as pessoas me chamam. :)

    ResponderEliminar
  14. a amizade é uma casa, e nós nunca nos podemos esquecer de onde vimos. beijinho marta*

    ResponderEliminar
  15. adorei, está lindo o texto!
    , estou a seguir :)

    ResponderEliminar
  16. oh, não te preocupes, podes fazer as perguntas que quiseres. :)
    ele surgiu primeiro como o heterónimo dos textos que escrevi lá para a escola, e eu acho que simplesmente começou a ganhar uso para os outros.

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.