13 de maio de 2011

Custa-me.

Às vezes custa-me ter falta de palavras e ser devorada pela enorme vontade de querer escrever. Eu quero sempre. Quero, mas não consigo. Custa-me não me conhecer, não sentir o corpo que cobriu a minha mente. Custa-me perder-me no labirinto que, até hoje, não descobri a saída. Custa-me ser invadida por lágrimas do nada, que no meu coração, pouco arrebatadoras são. Custa-me ser quem sou, possuir o nada que possuo e ter o coração com uma necessidade incontrolável de viver. Eu tenho sede de felicidade. Eu tenho sede de sorrisos mágicos, de abraços que me levam deste Mundo. Tenho sede de um amor único, de uma confiança plena... Escrevo de tudo para o nada. Escrevo de mim para ti, tu que não existes. Escrevo para a noite que não espera para me ouvir. Grito em silêncio, porque o meu silêncio será sempre o som que entoará o meu coração. O silêncio dói e as palavras matam e eu sei que falo sem me ouvires, sei que escrevo sem me leres e por isso o teu silêncio sufoca-me, a mim e à minha mente. Tu destróis-me e eu recomponho-me. Tu agarras-me, mas largas-me a mão. Eu fico sempre e tu vais embora... E custa-me. Custa-me deixar-te ir e sentir o teu sorriso que dá cabo do meu.
As palavras são sempre a minha casa, mas há um vazio que não se enche.
Se me custa? Até hoje, sempre me custou.


p.s. Desculpem a ausência, mas tenho andado a estudar. Estudar muito! E por isso tenho escrito no diário... Prometo que quando puder retribu-o todos os comentários. E nunca se esqueçam: eu gosto de vos ler. Gosto, gosto e gosto.

7 comentários:

  1. gosto muito. *
    a mais pura das verdades.

    ResponderEliminar
  2. Adoro adoro adoro :)

    PS:desculpa a ausencia :/

    ResponderEliminar
  3. "As palavras são sempre a minha casa."

    Maravilhoso :) *

    ResponderEliminar
  4. Conheço esse sentimento. É difícil termos vontade mas quando o fazemos não conseguimos ou não chega para nos satisfazer, nada chega .
    Gostei Muito ! (:

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.