17 de abril de 2011

A porta fechou-se.

A porta fechou-se e o amor ficou cá dentro, do meu lado. Junto ao coração.
A porta fechou-se, mas tu empurraste-me para longe de ti, quando já fomos um, já foste meu e eu tua, já fomos um do outro. Já fomos nós.
A porta fechou-se, mas a corrente de ar frio da noite ainda me toca, ainda dá cabo de mim, ainda se enrosca, ainda se envolve no quente do meu coração. É verdade, tu acabas comigo. Tu estás infiltrado, mas estás a ir embora. Tu estás a ir, mas em mim, estás sempre presente.
Sou louca, sempre me senti louca. Louca por te amar desta maneira.
E tu, que já desististe de mim e eu, que não sei como desistir de nós.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fica em segredo, entre nós.