14 de dezembro de 2010

- amar-te: deste jeito.

Sou alguém, porque vives em mim.
Existo, porque te tenho. E não me limito a uma sobrevivência forçada pelo mesmo motivo: tu.
Ouço o coração, porque me ensinas-te o poder de um Ser Humano perfeito.
Caminho em passos curtos, sem medo, porque sei que em todos os momentos estarás ao meu lado.
Sorrio e rio até não mais conseguir, porque soltas a minha alma para o mais alto céu.
Porque sempre que eu parei, tu paras-te. Sempre que eu fraquejei, tu igualmente fraquejas-te. Não me largas a mão, sustens-me mesmo quando quase não consegues e fazes-me acreditar que ao teu lado, realmente vale a pena viver, independentemente do passado que volta a assombrar-me, em dias em que a minha protecção se torna frágil.

És o caminho certo, a fórmula correcta. O amor por que por sempre esperei. A felicidade que vem, que fica e que permanece por tempos sem fim. És a dor derrotada, a força nunca acabada e as vitórias nunca perdidas. És as noites calmas quando o meu coração pode descansar. És a estrela que não deixa de brilhar, esteja um Sol quente ou uma tempestade devastadora. És o sorriso sincero que nasce do meu Ser e és as lágrimas travadas quando o desespero bate à porta.

Acho que nunca conseguirei dizer-te que não te amo, porque esta é a forma de vida que me empurra a dor do coração, transportando paz e felicidade para lugares escuros. É só isto: amar-te e saber fazê-lo.

3 comentários:

Fica em segredo, entre nós.