4 de novembro de 2010

- algo, de não sei quê.

Apetece-me algo. Ter algo, possuir algo. Apetece-me algo diferente. Algo que me mova, como um motivo, um caminho, uma luz, ou uma resposta. Algo que não seja difícil de compreender, nem difícil de cuidar. Quem sabe, eu não terei a capacidade de proteger esse algo, mas desejo-o. Algo livre, que alcançe a imaginação e que faça sobressair os corações destes Seres Humanos, que não abrem, não reagem e não sabem sentir.
Quero possuir-me de tudo, de nada. Quero viver, saber viver, de alguma forma que me sinta feliz e não há maior felicidade do que sentir uma alma viva, pura.
Ter algo e saber tê-lo. Algo de não sei quê, apenas meu.

- Só para te relembrar que te amo, infinitamente e que és o meu motivo, o que me move, em todas as direcções.

2 comentários:

Fica em segredo, entre nós.