13 de maio de 2010

- não me oiças.

Deixa-me dizer-te, meu eterno amor, que o teu poder sempre foi conseguires agarrar bem firme o meu coração junto ao teu, saberes dar-lhe paz em momentos em que o mundo "acabava" e a vida deixava de fazer sentido. Foste mágico, quando as noites eram frias e o sabor da felicidade não existia. Sabias dar-me enormes sorrisos, cuidar de mim e embalar-me no amor que nos unia.
Hoje, quando separas-te o teu coração do meu, não o deixas-te livre antes de o conseguires destruír e aos poucos sugas-lhe toda a força que ainda lhe resta e eu, eu preferia que me odiasses do que provocasses estes sentimentos que acabam comigo, comigo e com o meu coração, o que já te pertenceu.
Hoje, quando nada é certo e quando tento percorrer outro caminho sem te levar ao meu lado, o coração, o que deixas-te em vão, continua a chorar a tua ausência por guardar de ti apenas o que lhe faz amar-te deste jeito.
O lugar que tens em mim, não é teu por seres quem és. É teu por aquele que foste.
.

3 comentários:

  1. obrigada pelo teu comentário :')
    estive a ler o teu texto e gostei muito, continua a escrever, estou a seguir! :D

    ResponderEliminar
  2. força também para ti , precisamos as duas $ .

    ResponderEliminar
  3. que post lindo , *.*
    amei mesmo .
    FORÇA !

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.