6 de abril de 2010

- estou cá.

Não, já não estou a suportar o coração, estou a deixá-lo sufocar. As lágrimas só me mostram que realmente sou fraca, mas não o posso ser, não posso, não agora, tu precisas de mim e eu estou aqui para ti, por ti e para sempre. Vem, caminha devagarinho ao pé de mim, eu não vou largar-te a mão, prometo. Vem, não fiques perdido, fica aqui, sempre estive contigo, estarei sempre, eu seguro-te. Não te vou deixar à deriva, nunca o farei, não sou capaz. Enlaço-te nos meus braços, amo-te como me ensinas-te, dou-te a paz que sustem o nosso mundo e cuido de ti, cuido, prometo.
Se tu choras, eu choro contigo.
Vem, não fiques para tráz, eu sei que és capaz de ter força e a tua dor, é a minha dor. Eu sinto-te, eu pertenço-te, tal como tu e o nosso sentimento, estão unidos.
Lembra-te, eu estou aqui, eu não te deixo. Confia em mim, eu guardo os teus segredos no coração que mantens vivo. Eu vou apoiar-te sempre, independentemente de tudo.
Vem, chora comigo, eu parto contigo, para longe.
Vem, fica um instante, fica para sempre. 

3 comentários:

  1. Oh, que texto tão bonito, mas ao mesmo tempo tão triste :/ Realmente, há coisas que marcam, e essas, essas ninguém apaga, essas o vento não leva. Essas permanecem bem connosco, guardadas num sítio bem seguro, e dão-nos força para continuar em frente o nosso caminho. Coragem, querida :)

    Beijinho.
    Rita f.

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.