16 de fevereiro de 2010

- um nada.


Já não tenho palavras para ti, porque já nada te pertençe. O coração, aos pouquinhos e devagarinho está a recompor-se sem a tua presença. As noites em que as lágrimas tomavam conta de mim, já lá vão. Nestes tempos, a Lua que falava baixinho ao meu coração, que lhe dava conforto e paz, em dias em que o teu amor não chegava deste lado e eu era assombrada pelas marcas leais que fizes-te questão em deixar no meu ser, hoje, em que o mar acalmou e mudou o som com a tua partida, o coração mantem-se apaixonado. Mas ainda existem passos meus com recordações tuas e é isso que ainda me faz recuar e sentir saudades do quanto conseguis-te ser. Não quero calar o meu coração, mas também não o quero deixar à derivada. Já não és meu, mas guardas a minha alma. Dói-me.
O teu amor, sempre foi a solução;
Mas o problema agora não é não te ter, mas sim, não te querer.

2 comentários:

  1. "O teu amor, sempre foi a solução;
    Mas o problema agora não é não te ter, mas sim, não te querer."

    Para mim o problema seria, não ter e querer :)

    Força *

    ResponderEliminar
  2. dói, e muito :s
    é preciso teres muita força de vontade em esquece-lo,
    se quiseres mesmo, acabas por esquecer..
    mas é difícil :'

    continua marta,
    os teus textos são lindos!

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.