27 de janeiro de 2010

Um adeus. :'

Bem.
Não sabia o que escrever, mas pronto. Errei, sim, sofri, sim. Posso ter errado muito, mas para que foste fazer aquilo pela 3ª vez? E porque é que quando te deixei, foste-te meter com ele? Secalhar é como a tua prima diz: eu não te soube ter.
Não estou arrependido de nada. E desculpa de toda a porcaria que fiz, desculpa se não soube ser perfeito ao ponto que tu querias. Desculpa se existe quem te faça feliz mais do que eu fiz. Desculpa, a sério.
Nunca te esqueças de nada. Cortas-te a pulseira, eu nunca pensei que fosses capaz disso.
Não quero viver. E não vou viver, nunca mais. Nunca duvides do que eu sinto, e acredita no que o teu coração acreditar.
« amo-te. » :'
 /diogo.

1 comentário:

Fica em segredo, entre nós.