20 de janeiro de 2010

«O que preciso para viver desde aquele dia doisdemarçodedoismilenove, o quê? Preciso de ti, só de ti. Porque és a minha única fonte de viver, é de ti que vem o oxigénio que respiro todos os dias, é por ti que o meu coração ganha forças para continuar a bater, é por ti, por nós. Eu tenho a certeza que é a ti, que eu quero todos os dias da minha vida. Tudo o que passamos, tudo o que vivemos, é nosso, e tu sabes que eu nunca vou revelar nenhum dos teus ( nossos ) segredos a ninguém. Vão ficar sempre no meu coração. Ensina-me a viver, quando não posso falar contigo, ensina-me, que eu não sei o que fazer. Só quero desaparecer, assim dum momento para o outro. E peço-te que te lembres sempre de mim, sempre de todos os nossos momentos, todos os nossos minutos, que passavam a correr, sem nenhum muro gigante para os parar. Nunca duvides do que eu sinto, por favor. Tu viste bem o quanto me fizeste sorrir, tu viste. Eu não te quero perder, e as lágrimas podem invadir-me a cara constantemente, sem parar, que eu não me importo, eu não me importo de chorar por ti, por nós, pelo nosso amor. Para nós nunca vai ser tarde demais, que o nosso único destino é o para lá do infinito, o para lá do sempre.»


E hoje, vou deixar com que o coração te fale, não vou deixar que ele te esconda o sentimento. Vou abrir-te a alma, e vou afirmar o poder que tens sobre mim; o poder da felicidade, sempre o tives-te, sempre o usas-te e valeu a pena. Hoje, vou gritar por ti, bem alto, vou dizer que te amo e muito, mesmo que tu não oiças o grito do meu desespero. Vou fechar os olhos, vou sentar-me no banco da vida e acreditar, mesmo que já não haja motivos de nada, mesmo que a força já tenha terminado e mesmo que tenhas do teu lado toda a esperança. Hoje não vou sorrir, não vou chorar, vou sentir, vou deixar o coração livre, a alma vazia, vou concentrar-me no mundo que é só meu: tu. Hoje vou ficar parada no tempo, em qualquer lugar, a olhar o mundo, a ver os minutos passar. Vou sentir a força do vento, vou acreditar na verdade das palavras que o coração me diz. Vou ouvir musica e vou dizer-te baixinho que ainda estou aqui, sentada, ainda sou tua, não sei por quanto tempo, mas agora esta sou eu, sou a tua. Hoje vou sentir as saudades dentro de mim, mas vou prometer-te que não esqueçerei nada, mesmo que algum dia parta para um novo caminho sem ti, mesmo que possa sorrir sem estares do meu lado, vou guardar dentro de mim todos os teus (nossos) segredos como sei e espero que guardes os meus, no mais profundo do teu ser (seja ela o que eu admiro, ou não). E mesmo que termine, mesmo que os dias corram lentamente, mesmo que as ondas do mar levem as minhas palavras que eu escrevi naquela areia, mesmo que a chuva continue e o sol desapareça, podes contar comigo, sempre e para tudo, meu amor.

(Faz-me mal pensar em ti, faz-me mal.
Faz-me mal lembrar-me do teu sorriso, das tuas palavras, do teu olhar.
Faz-me mal.
Faz-me mal tu teres tudo de mim e eu de ti não ter nada.
O meu coração quer expulsar a dor, mas tu não deixas, és tu e isso faz-me mal, muito mal.
Deixa-me gritar, deixa-me ser livre. Deixa-me voar com os pés na terra, deixa-me dormir de dia e ficar acordada de noite. Deixa-me ser quem não sou, quem não és. Não quero ser assim, não quero fazer-me mal, não quero.
Faz-me mal deitar-me ainda com a pulseira e dizer que te amo. Faz-me mal ouvir a nossa musica e trazer de volta o mar das memórias, onde lá ficaram guardados todos os momentos. Dói-me a alma por ela ter tanto mal, as palavras magoam-me porque o coração não sabe mentir e isto tudo faz-me mal.
Faço-me mal, fazes-me mal. A esperança faz-me mal, a luta faz-me mal, as lágrimas fazem-me dor, será uma coisa boa? Não, não é.
Faz-me mal permanecer sentada à espera do nada no nosso banco, faz-me mal.
Mas afinal.. sou eu que me faço mal, sou eu que não consigo, a fraca sou eu, estou aqui.)

Volta a pintar-me (...)

5 comentários:

  1. Obrigada (:
    Dantes também pensava assim como tu, tudo o que tivesse a ver com "ele" fazia-me mal. Hoje, acho que só me faz bem escrever, falar, e até mesmo pensar!

    ResponderEliminar
  2. mas tenho que permanecer em silêncio :' .

    ResponderEliminar
  3. força , muita força também para ti :''

    ResponderEliminar
  4. "Mas afinal.. sou eu que me faço mal, sou eu que não consigo, a fraca sou eu, estou aqui.)"

    Enquanto não estivermos preparadas para o deixar, para ficarmos sozinhas, fará sempre mal pensar nele. Recordar.

    Parabéns pela escrita :)

    ResponderEliminar

Fica em segredo, entre nós.