17 de janeiro de 2010



A alma está vazia, mas aliviada. O coração, esse, voou para junto de ti e o sentimento ainda permanece em mim. O tempo avança, os ponteiros do relógio não param, mas tu não estás e de certo não virás mais.
«Aguentas tudo, és forte.»
Vou deixar-me cair no abismo sem fim, vou chorar, como todas as noites faço para ganhar força, vou pensar em ti, sempre e se acabar aqui, se desistirmos os dois, tu hás-de ser feliz, e eu serei, um dia.
Tiraste-me as cores com que tinhas pintado este amor no meu coração, partis-te para um novo caminho. «Não olhes para tráz, hás-de conseguir.»

É real, é nosso.


2 comentários:

Fica em segredo, entre nós.